quinta-feira, 29 de julho de 2010

Encontrei na casa do meu primo e gostei.


*
Os que gostem de melhorar o seu português, entrem aqui por favor.

*

segunda-feira, 19 de julho de 2010

So wenig wie möglich und so viel wie nötig

*

O máximo possível e o mínimo necessário


O menos possível e o máximo necessário

  *

A tendência em confundir quantidade com qualidade é em Portugal notória. Agimos sobre o mote "quanto mais, melhor"; esquecendo-nos que qualidade não se compra aos molhos. O título deste post, o que em portugês significaria aproximadamente o seguinte: "o minímo possível (de qualquer coisa) e o máximo necessário (destas mesmas coisas)" é uma das directrizes a seguir na execução de desenhos técnicos. Esta frase que aprendi durante a minha formação profissional na Alemanha, impressionou-me imenso e passou a ser conceito para quase tudo aquilo que faço*, seja ele a nível profissional ou privado. O telejornal português, por exemplo, é para mim uma afronta! Para quê tanto teatro se com menos também se fica devidamente informado?

Portugal é em algumas coisas, quase os EUA da Europa - um país de superlativos! A maior árvore de Natal  da Europa, os maiores Centros Comercias, a melhor comida, as praias mais  lindas do mundo e depois somos o país que paga os ordenados mais baixos da Europa, o que também um superlativo é, não é?


(*) excepto amar, por exemplo os meus filhos, passa-se precisamente o contrário.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Fato catito

*

A burca não é uma questão de moda, mas sim uma imposição à mulher para que esta oculte toda a sua feminidade. Só assim eles, os adeptos deste fato catita, estão imunes a tentações diabólicas. Eu como mulher exijo a abolição universal da burca e para estes adeptos, a mutilação do membro masculino responsável por este mal entendido.
*

quarta-feira, 14 de julho de 2010

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Uma desesperada separação

*



Estimado Senhores amigos do Separatismo,

Durante uma passeata pela net descobri-vos aqui. O vosso blog inspirou-me muito. A teoria do Separatismo iluminado e pouco moderado é excelente.

"---»»» Pelo legítimo Direito à diferença: TODOS DIFERENTES!!! TODOS IGUAIS!!!"

Completamente de acordo com esta sua afirmação.

-> Isto é, TODOS os Povos Nativos do Planeta Terra: INCLUSIVE os de 'baixo rendimento demográfico' (reprodutivo)... INCLUSIVE os economicamente pouco rentáveis... devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no Planeta!!!
Reproduz-se pouco e rentabilidade mínima, só pode estar a falar de nós, do nosso ilustre povo. Mas não me diga que não sabia que até há bem pouco tempo, também em Portugal fazer muitos filhos era a única forma de garantir uma certa segurança para os tempos em que as forças nos faltassem. A maioria dos portugueses não tinham acesso às excelentes reformas portuguesas. Felizmente tudo se alterou, e como todos sabem, os reformados hoje têm uma vida muito descançada e não precisam mais de andar à procura de part-times para que o pilim chegue até ao fim do mês. Fazer filhos antigamente era um investimento no futuro - rica ocupação, não acha? Como vê, tudo tem os seus prós e contras. Eu sinto-me com muita sorte, pelo facto de ser portuguesa e não necessitar de sair do meu país para poder viver em condições dignas. Realmente é uma chatice, estes povos parasitas, que saiem dos seus países para irem chatear e roubar o trabalho aos outros na sua terra.


...Já desapareceram do planeta vários povos autóctones... e outros (um exemplo: os nativos europeus) estão em risco de desaparecer...
Bem, aqui seria óptimo especificar a que europeus se refere. Refere-se àqueles povos em que as pessoas são altas, esguias, de cabelo e olhos claros, oriundas dos países da Europa do norte ou está a referir-se àqueles pequeninos rechonchudinhos como eu, cabelo escuro e olhos em azeitona, oriundos daquele paraíso à beira-mar plantado, ao qual nós adoramos chamar o nosso Portugal? Não leve a mal, foi só brincadeira minha. Eu sei, nós somos umas máquinas, perfeitos, autónomos, extremamente produtivos, nada corruptos, sempre fomos uma raça muito pura, sabemos falar francês e tocar piano e nada cagões e para além disso, somos mesmos uns craques em tudo aquilo que fazemos, e estamos convencidos que somos os mais lindinhos de todos, é por isso que nós não gostamos nada das loiras boas. Há que ter cuidado para que não acabemos como o Australopithecus e o Neanderthal - povos extintos por completo! Lutaremos até vencer!
"...Separatismo musculado..."
estas duas palavrinhas em combinação foram encontradas num comentário seu, neste blog - que palavras cheias de impacto! Parece que anda com vontade de andar à cacetada. Olhe que dói. Ao ler o seu desabafo lembrei-me muito da história tratada no filme com o título "The 13th Warrior" - conhece?

Um xoxo da Marota



*

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Porque é que este estado ainda me incomoda se sempre assim foi?

*


Em Portugal não se conseguem fazer estradas em condições, são tortas, mal pintadas e sujas. Porquê? Por sermos pobres? A fotografia em cima, mostra uma passadeira junto ao Teatro Trindade, no coração da capital de Portugal! 


E depois diziam que queriam um TGV 
que comprem um da Märklin
(não confundir com a Angela)
*

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Enfermeiros académicos também são Doutores?



*

Muito boa tarde minhas Senhoras e meus Senhores. Tenho andado a magicar ultimamente muito sobre a seguinte constelação: em Portugal tudo o que frequente um curso superior pode utilizar o título de Doutor. Segundo informações há pouco adquiridas, os enfermeiros portugueses têm agora também uma formação académica. Será que o diálogo entre médicos e enfermeiros agora poderia decorrer da seguinte forma? :

Dr. Médico diz: Ó Dr. Joaninha, vá lá buscar o dossier do Sr. Manel Perneta.

Dr. Enfermeira Joaninha responde: com certeza Sr. Dr. Oliveira Simões.

Pode alguém esclarecer-me? Ficaria extramente grata pelo vosso apoio. Se há enfermeiros doutores e Médicos que também são doutores... isto é uma complicação tremenda. Doutores de primeira e doutores de segunda?

Tenho um namorado ;) que é bombeiro, será que ele em Portugal também já era doutor?

Cumprimentos da Marota

*